quinta-feira, 29 de março de 2012

O Casamento na visão do Tantra


O Casamento e a Tradição Tântrica...
Por: Chandra Veeresha

Muitas pessoas me perguntam sobre casamento. Em geral, pessoas que já vivem em algum relacionamento há anos e que ingressa na Tradição Tântrica. Pelo falo do Tantra apontar muito para a liberdade, acreditam que o casamento não faça parte do Tantra, ou que seus relacionamentos devem ser “abertos” o que gera desconforto para quem já se acostumou com outra forma de viver.
O desconforto é normal. Primeiro deve-se investigar quem é que se sente desconfortável com isso: O Ego.

O Ego quer dominar; manipular; aprisionar o outro. O coração não. Dizem que o amor liberta e eu lhe digo que o amor é a própria liberdade. Se reconheço que ninguém é um objeto de posse, então não há nada que libertar, apenas deixar que ele seja o que é.
Isto não é fácil nem difícil. Se toda vez que voce se sentir carente mesmo sendo casado e olhar para voce, observar que o outro não tem responsabilidade nenhuma sobre a sua felicidade, voce dará um passo adiante e começará a compreender a essência do Tantra.
O Casamento deve ser uma celebração. O casal deve estar junto por amor e não, por tolerância ou comodismo. A tolerância faz parte do Ego e o Amor do coração.
Se voce ama, então sentir-se amado não faz a menor diferença, porque o amor flui de voce. Voce se torna o próprio amor. Mas quando há apegos, então sempre existem aquelas “provocações” e uma insatisfação eterna...
É voce quem decide o que quer para sua vida: Celebração ou Miséria.

Celebre o prazer da companhia do ser amado. Celebre o prazer de estarem juntos Aqui e agora e perceberá que viver junto (mesmo tendo recebido as bênçãos de um sacerdote ou de um juiz)nem sempre é casamento.
O casamento é algo que vai muito além. Por isso, o Tantra não é contra o casamento, de forma alguma. O Tantra é a favor do amor em qualquer circunstância, que isto fique bem compreendido.
Dizer ao seu parceiro o tempo todo o que ele pode ou não pode fazer, não fará de voce uma pessoa mais feliz. Isto é pura ilusão O que lhe fará feliz é saber que ele está feliz fazendo algo, expressando algo ou apenas sendo...
Mas é preciso uma revolução interior para que voce consiga estar relaxado com a felicidade do ser amado. Na realidade esta revolução interna é preciso para que consigamos estar felizes com a felicidade de qualquer pessoa, já que cada uma delas tem uma história, caminhos percorridos, dores e prazeres.

Para ser feliz no casamento é preciso que haja muito companheirismo. Converse com ele. Abra seu coração sempre que sentir necessidade e permita-se ouvi-lo, sem julgamentos. Atitudes simples como estas farão dessa relação um casamento de verdade. Esqueça se “será para sempre”. Para sempre é Aqui e Agora.
Olhe mais nos olhos de quem voce ama. Já percebeu que sempre que estamos com raiva de alguém, não conseguimos olhar em seus olhos?Já dizia o poeta: Os olhos são o espelho da alma.
Toquem-se mais. Cantem, dancem, banhem-se juntos, meditem juntos. Mas, reserve sempre um tempinho para também meditar só. E não interfira se ele quiser fazer o mesmo.
Vejo casais que dizem que se amam, mas que a todo o momento estão fiscalizando um ao outro (para onde vão com quem conversam ao telefone, proibindo roupas e amizades). Isto não é sequer um tipo de amor. Primeiro compreenda isso e mude sua atitude interior. A meditação lhe ajudará neste caso e havendo amor, o casamento acontece: Os dois se tornam Um.
Muitas práticas tântricas fortalecem a relação a dois. Uma relação só existe se ambos puderem amadurecer por meio dela. Do contrário, é delírio!
Alguns casais (emocionalmente mais maduros) permitem - se ter relações extraconjugais e asseguram que isso só melhora a relação, pois ambos não fantasiam, mas executam o que sentem vontade e, quando estão juntos,se complementam.. Outros tem ralações extraconjugais somente se isso fizer parte de algum ritual que poderá ajudá-los em suas buscas espirituais. Há casais que já se permitiram relações extraconjugais, mas que amadureceram tanto, a ponto de não sentirem mais esta necessidade ou de não se identificar mais com pessoas que não estão comprometidas com sua forma de viver e com a visão do Tantra (e como são raras as pessoas que compreendem profundamente os apontamentos do Tantra e mais ainda, que praticam, torna-se quase impossível se relacionar extraconjugalmente para estes casais-enquanto que a cada dia a relação entre ambos, se fortalece).. E há aqueles que nunca se questionaram sobre isso ou que se mantem fechados para novas experiências...

Uma coisa é certa: Em nenhum caso existe traição, pois traição implica mentira, enganação, medo...
E ambos devem estar de comum acordo sobre a de forma de viverem juntos!
A sociedade está enraizada na mentira; na traição. Isto porque os relacionamentos não estão baseados em amor e ainda, muito imaturos. Então, ambos mentem para evitar discussões e brigas, o que só prolonga o sofrimento. Quando “ a casa cai”, ambos saem feridos!
Permitir-se ser sincero na relação, significa permitir que o Amor floresça.
Então para o Tantra inexiste “isto é certo e aquilo é errado”. O tantra não possui uma cartilha repleta de mandamentos para que se possa seguir. Conforme a consciência avança, as mudanças acontecem. É assim também nos relacionamentos.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Vídeo- Entrevista e Canto com Chandra Veeresha

Olá amigo(a)!
Se voce gosta de mantram (sons de poder), música indianaou é um(a) apaixonado(a) por divindades, espiritualidade, prosperidade e tantra, como eu, assista a este vídeo em que estou cantando e sendo entrevistada. Programa Consciência Próspera!!!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Curso de Tantra- Segunda aula 29/04


Olá amigo(a)!
Devido a uma pessoa que se inscreveu para o Curso de Tantra que iniciou ontem, dia 19/03 e não compareceu, estamos abrindo mais uma vaga para fazer parte da Turma de Terapeuta Tantra 2012.
Se voce sentiu o chamado, mas por algum motivo, esteve impossibilitado de participar antes, ótima oportunidade para entrar na segunda aula.
A turma é muito legal e participativa. Voce vai adorar estar com tanta gente bonita, alegre e de bem com a vida.
Interessado ou interessada, ligue:
(11) 3427-3659
www.templodaluaterapias.com

quinta-feira, 15 de março de 2012

Tantra- Sexo e Necessidades Naturais do Homem


(Homem neste contexto refere-se a ser humano)

Um princípio geral que aparece nos ensinamentos tântricos é abster-se de suprimir necessidades naturais. Qualquer supressão de nossas necessidades físicas causa uma reação interna, um tipo de distorção que destrói a harmonia interior.
É claro que é importante ter capacidade de distinguir o que é natural e o que não é. O discernimento é a chave para colocar em prática este princípio. Este ponto de vista é único na tradição tântrica; quase sem exceção os outros ensinamentos espirituais prescrevem regras estritas para supressão de funções naturais como fome, sono e principalmente, sexo.

Os Tantras ensinam que a supressão das necessidades naturais é potencialmente danosa para a saúde mental quanto a física e pode conduzir à neurose e à morbidez. Embora a supressão das necessidades naturais possa trazer efeitos desejados temporariamente, o resultado em longo prazo é limitante e a verdadeira evolução raramente é alcançada desta maneira.
Há um conceito errôneo comum de que os ensinamentos tântricos, conduzem à licenciosidade. Ao contrário, o Tantra requer uma grande disciplina e um esforço para abolir doentios hábitos ou hábitos antinaturais. Os textos tântricos declaram que as necessidades antinaturais devem ser substituídas por outras naturais, mas nunca, suprimidas

Aprenda a distinguir o real do irreal; o natural do antinatural dentro de si próprio. Por exemplo, é natural para o corpo necessitar de comida de tempos em tempos, mas é antinatural querer comer a cada 10 minutos!
A primeira necessidade deve ser gratificada e a última, transformada.
Sendo indulgente com as necessidades naturais do corpo e da mente, perde-se a capacidade de reconhecer as verdadeiras necessidades.

Uma vez mais, não suprima necessidades psicológicas autênticas. Se tiver a necessidade de espirrar, vomitar ou ir ao banheiro, vá o mais rápido possível. Se voce desobedecer a estes impulsos naturais, a acumulação de pressão nos órgãos internos pode levar a doenças.
O mesmo princípio se aplica às necessidades sexuais, que devem ser encaradas com um bom senso semelhante. Caso deseje livra-se de um hábito que não é salutar, faça-o gradualmente, substituindo o negativo por um positivo. (Penny Slinger)

quinta-feira, 8 de março de 2012

Anúncios de Massagem Tântrica na Internet


Por: Chandra Veeresha

De uns tempos para cá tenho notado muita propaganda de prostituição utilizando o nome do Tantra. Evitando ser redundante, me ocupei em falar neste texto sobre as principais diferenças de um anúncio de prostituição que utiliza o nome da Massagem Tântrica, de um anúncio de Massagem Tântrica Terapêutica, para quem sabe, diminuir assim os transtornos e constrangimentos que terapeutas tântricos até o momento tem enfrentado por causa dessa má comunicação.

Ao ler um anúncio como este: “Faço Massagem Tântrica, atendo no meu flat, massagem com algo mais”, o que você compreende?O anúncio está claríssimo.
A questão não é a massagem que poderia ser até Shiatsu. A mensagem real está embutida no ‘algo mais”. Neste caso é muito simples perceber se é isso ou não o que se está buscando. Se o homem estiver procurando por prostituição, então já encontrou. Agora, se está escrito assim: “ Atendimento com Massagem Tântrica- Atendimento em espaço terapêutico e com foco terapêutico”, por que é que ainda há pessoas que ligam perguntando se tem o tal “algo mais”?
Outra coisa, geralmente as meninas que oferecem sexo colocam fotos de lingerie, de shortinho bem curto, numa pose ousada empinando o bumbum. Algumas até escondem o rosto, Está tão óbvio isso!
O problema é que muita gente esquece-se de ler o enunciado e principalmente observar as “entrelinhas”...
Existem anúncios que dizem o seguinte: “Massagem Tântrica personalizada”. O que seria isso? Qual a necessidade de personalizar uma massagem a não ser em caso de tratamento?Este é um anúncio no mínimo estranho. Há também os anúncios de “Massagem Tântrica Completa” onde a palavra “completa” tem o mesmo sentido que “algo mais”.

Quem trabalha realmente com Massagem Tântrica chama-se Terapeuta ou Massoterapeuta e nunca, massagista por exemplo. Se a própria pessoa no enunciado se intitula massagista, pode até ser que ela não esteja vendendo seu corpo, mas induz o (a) cliente em potencial, mais facilmente ao erro. Portanto, é preciso esclarecer melhor já no enunciado.
Cada um é responsável por suas escolhas. A prostituição só existe porque existem pessoas interessadas e como é sabido, são os homens casados que sustentam este “mercado”. Por outro lado, considerar isso como um crime só faz aumentar mais ainda a confusão entre o que se está sendo oferecido, visto que as mulheres devem ter muita cautela com o que escrevem e divulgam, evitando o risco de serem presas.
Como quase ninguém compreendeu ainda o que é o Tantra, então é o nome perfeito para se utilizar, claro, aproveitando ainda que o mesmo está em crescimento no Brasil, une-se o útil ao agradável. Sem contar que realmente existem espaços ditos “terapêuticos” que estão mais “para lá do que para cá” (mas sobre isso voces podem ler em outros textos de minha autoria).
“Um conselho aos terapeutas tântricos: Se quer mesmo evitar este tipo de confusão, comece a esclarecer melhor seus propósitos no anúncio (colocando observações, por exemplo, já no início) e poderemos todos conviver pacificamente, sem perda de energia, atraindo exatamente os tipos de clientes que queremos.
Paz a Amor!

quinta-feira, 1 de março de 2012

Noites de amor ardentes - Tantra


Poema Tantrico

Quando sua voz sussurra
Numa noite enluarada
Minha pele arrepiada
Chega a adormecer
Com os sons do seu amor
Seus grunhidos e gemidos
Quase sempre ao pé do ouvido
Faz a mente entorpecer
Não há tempo linear
Nem vontade de acabar
O que a gente começou...
Nossas noites de amor ardentes
Tem começo, mas não tem final
Transitamos livremente
O divino e o animal
Estico-me e me encolho
Giro como gira a roda da vida
Totalmente possuída
Mareada e febril
Esqueço-me e te encontro
Vibro, grito, choro e silencio
Canto, te encanto
E levemente sorrio
Voce em mim, para cima e para baixo
Devagar eu me encaixo
E recolhemos em “outro” Agora
Os pensamentos que deixamos
Bem do lado de fora. (Chandra Veeresha-28/02/2012)