domingo, 10 de junho de 2012

Yoni- Duchar ou não duchar a região íntima?


Para que o assunto possa ser compreendido com melhor exatidão, devemos saber algumas das estruturas que compõem a genitália feminina. A partir disso, podemos entender que a prática da higiene genital deve ser feita no compartimento externo e intermediário (como mostra a figura) evitando a introdução de substancia no compartimento genital interno (vagina e colo uterino). Portanto, não confundir vulva (parte externa da genitália feminina) com vagina (região interna).
NOTA: De acordo com a nova nomenclatura anatômica o nome vulva foi trocado por PUDENDO FEMININO.

Ao contrário do que muitas mulheres pensam, a ducha vaginal, que consiste na higiene interna podendo ter a introdução de substancias, pode trazer malefícios visto que o ato de duchar confere o risco aumentado da perturbação da flora vaginal. O trato genital feminino possui vários mecanismos de defesa contra agentes infecciosos que pode ser quebrado com a pratica da ducha vaginal, facilitando a proliferação de microorganismos, podendo dar origem ao aparecimento de infecções bacteriana e fúngicas (Candidiase).
Foi observado segundo alguns estudos, que há uma associação entre a prática da ducha com vaginose bacteriana, infecção vaginal mais comum de mulheres de idade reprodutiva. No entanto ainda há dúvidas se o fato de se duchar é que leva a vaginose bacteriana ou se o fato de ter vaginose bacteriana é que leva ao ato de duchar (causa/conseqüência).

Após analise de alguns depoimentos de mulheres que fazem a prática, pode ser observado que muitas destas afirmam que o fato de interromper a prática levou a existência de corrimentos, isso enfatiza o que foi dito anteriormente, na verdade pode ser considerado que não foi o ato de parar que levou a existir tal fator, mas provavelmente que a prática, tenha levado ao aparecimento desse corrimento.
Além disso, o ato de se duchar pode levar a fatores de risco como: parto pré – termo ( antes do tempo ideal), câncer cervical, doenças inflamatórias pélvicas, gravidez ectópica, RN com baixo peso, entre outros.

Afinal, como deve ser feito a higienização de forma correta?

Quando nos referimos na higiene feita no banho, esta deve ser feita apenas no compartimento externo e intermédio, como dito anteriormente. Devendo ser feito com água corrente e com produtos de higiene, os quais estes devem, de preferência, possuírem formulação liquida, visto que o sabonetes em barra, mais utilizados devido ao fácil acesso, tradição e baixo custo, são alcalinos ou neutros com o pH ao redor de 7, diferente do pH da vagina que circunda entre 4- 4,5. Além disso o sabonete em barra pode ser compartilhado por outras pessoas, o qual aumenta o risco de contaminação.
A freqüência diária recomendada de higienização é de uma a três vezes em período de clima quente e pelo menos uma vez ao dia no clima frio. Após a lavagem, a secagem deve ser feita com toalhas de algodão e secas, evitando a proliferação de microorganismos.
Alguns outros cuidados também são importantes:

1) Durante o período menstrual, o uso de absorventes externos com película plástica deve ser evitado já que pode provocar irritações.
2)O uso prolongado de tampões também não é recomendável, visto que podem levar a Síndrome Tóxica do Choque, infecção causada pela bactéria Staphylococcus (estafilococos).
3)Desse modo, deve-se evitar dormir com eles.
4) Os absorventes externos devem ser trocados, preferencialmente de 4 em 4 horas.
5)Evite roupas íntimas apertadas e sintéticas, dando preferência para as de algodão, devendo ser trocadas ao menos uma vez ao dia.
6) Dormir se possivelmente, sem calcinha para aumentar a ventilação dos genitais.
A higiene intima é um ato de cuidado e respeito com o próprio corpo. Lembre-se disso e cuide da sua saúde intima, tomando os devidos cuidados.

Por Sissi Bertolini
WWW.medicinadebolso.com

===============
Comentários:1-
Voce reparou que a palavra pudendo, nos remete a uma outra palavra que está no nosso inconsciente há milênios? A palavra "pudendo" substituta da palavra "vulva", nos faz lembrar de "pudor". Ou seja, não é à toa que a mulher ainda esteja tão atrás dos homens no que se refere ao conhecimento do próprio corpo e que ela ainda tenha tanto "pudor'. No corpo feminino, na parte de trás, seguindo a mesma linha da "pudendo, temos o "sacro" cjo significado é "sagrado'. Ora, um é sagrado e o outro é pudor, e a mulher vive sempre na "corda bamaba" entre o que é e o que não é (segundo seu inconsciente- baeado em imposições de sociedades patriarcais)admitido na hora do sexo; a mulher mantem assim o medo de sentir prazer.(Chandra Veeresha)
-
2-Com relação ao absorvente, acredito e aponto na direção de que a mulher precisa manter o contato com o próprio sangue- que representa o poder do femiinino- e durante a menstruação ou "neve vermelha", como chamamos no Tantra, recomendo que utilize absorventes a base de tecidos (existem uns antigos nas farmácias ainda - é bem menos prático, sei disso, mas ajuda a manter a saúde da mulher e a conexão com o sagrado poder do femino que há nela). No período menstrual, dizemos que Kali veio nos visitar e por isso, é necessário o contato com a Deusa, bem de perto.
(Chandra Veeresha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário